RPG é um jogo, lembra?

Ultimamente a comunidade de jogadores de RPG que perambula pela internet e fala do assunto trouxe à tona alguns assuntos interessantes: “RPG como arte”, “Mestres Profissionais vs Mestres Casuais” e “Facilidades das Mesas On-Line”.

Eu não vou discutir cada assunto individualmente aqui, mas eu realmente lamento que, para haver um comprometimento com o RPG, você precise ser um profissional ou artista.

A verdade é que RPG é “pouca bosta” mas que damos valor demais quando pensamos em despender tempo para preparar uma aventura, reunir amigos e fazer um esforço para jogar.

O que eu quero dizer com isso? Vamos por partes

Quando digo “pouca bosta”, não estou ofendendo o hobby nem diminuindo-o. Estou apenas constatando que RPG não faz diferença em nossas vidas, pelo menos não tanto quanto um jogo de tabuleiro, video-game ou livro favorito.

Sei o que você deve estar pensando: “RPG é incrível e não é raro ouvir depoimentos das pessoas sobre como o RPG mudou a vida delas para melhor, seja no trabalho, seja para curar a depressão e outras complicações da vida”. Eu não discordo disso, mas lembre-se que você encontra o mesmo tipo de depoimento sobre videogames, quadrinhos, artes marciais e até Pokemon Go.

Então RPG é saudável de fato, assim como qualquer coisa que a gente gosta de fazer no tempo livre.

Mas aí, conveceram você de que nas horas fora do seu emprego você tem que relaxar. Sua vida no trabalho é uma merda e as horas livres são a descarga do esgoto que é sua rotina durante o dia.

Aí falam pra você “ei, assista uma temporada de Game Of Thrones para relaxar” e lá vai você passar uma caralhada de HORAS SEGUIDAS do seu fim de semana engolindo TODOS os episódios daquele seriado de uma vez, sem piscar. Seus olhos estão vermelhos, lacrimejando e você está com uma dor de cabeça isnuportável. Porém, você não esquece de checar os likes do post que você se gaba de ter ficado 12 horas na frente de uma tela.

Admita, preferimos passar de 8 a 10 horas na frente do seu computador do que jogar RPG 3 horas na semana. Por que? Gostamos TANTO de RPG, não?

Afinal, por que estamos tão ocupados para o RPG? Não estamos, mas é fácil colocar a culpa nos outros do que admitir a verdade.

A verdade é que não queremos jogar RPG. Não queremos nos comprometer com algo que temos que criar, elaborar, nos mover para algum lugar. Se eu tive um dia de merda, é meu direito dar a descarga do jeito que eu quero!

Isso é válido somente se admitirmos que nossas horas vagas foram feitas para entrar no torpor de um sedentarismo mental e que é isso que realmente queremos para nossas vidas.

Agora, se você não admite jogar suas horas livres no lixo dessa forma, existe a possibilidade de você  se incomodar ao constatar você não consegue sequer marcar uma partida mensal e a culpa é inteiramente sua.

Sim, uma partida com um mestre e dois jogadores. Uma masmorra de três aposentos usando um sistema simples. Nem assim somos capazes de nos comprometer. Não porque o RPG é “sofisticado” ou “exigente”. Mas porque nos tornamos incapazes de fazer tão pouco.

Um truque simples: marque um jogo rápido em horários em que as pessoas que precisam da sua atenção estão ocupadas. Em uma sociedade carente de atenção e egoísta, a melhor forma de ganhar tempo para si mesmo é quando os egoistas estão ocupados com suas próprias coisas. Prepare uma refeição leve e vá jogar sábado ou domingo 10 da manhã num “brunch” ou pique-nique, duas vezes ao mês. Todos estão correndo nessa hora com suas próprias coisas, elas nem lembram de te encher o saco no Facebook.

Existem responsabilidades inegáveis da vida adulta. Filhos, trabalho, contas para pagar. Mas eis o pensamento que está te pegando de jeito: essas tarefas já exigem um esforço ENORME e a ideia de ter que trabalhar e se esforçar além disso para qualquer coisa destinada à sua diversão é um absurdo.

Mas saiba que você será muito bem pago por este “trabalho”. Eu não estou falando de dinheiro.

Estou falando de satisfação e qualidade de vida. Veja um artigo interessante sobre como é ter hobbies no lugar de hábitos.Depois Entenda como isso vai melhorar os demais aspectos da sua vida.

Não caia no conto do vigário. Nos jogaram essa ideia cretina de que “relaxar” significa consumir passivamente qualquer merda que jogam nas nossas cabeças por R$45,90 mensais num tablet.

O segredo: ao mesmo tempo que é importante compreender que o RPG é apenas um jogo, entenda a importância que um simples jogo tem na sua vida.

Com essas duas ideias você irá:

  • Diminuir a dificuldade aparente de se encarar um hobby.
  • Usufruir de um hobby que irá mudar sua rotina, ainda que exija algum esforço e comprometimento.

Por fim, saiba identificar aqueles que querem te convencer que RPG é algo a mais. Não admita que eles coloquem o RPG num patamar acima. Dizer que RPG é mais do que diversão inconscientemente cria complicações que colocamos na cabeça como obstáculos a serem superados para jogar.

RPG não é arte, mas usa arte na sua experiência. Não exige profissionais para ser jogado ou entendido, mas existem aqueles que podem fazer da experiência de jogo um negócio bem sucedido.

Só que nada disso importa. O núcleo central está naquilo que ele realmente é: um hobby. Um simples jogo, que nos convencemos de que não há tempo para nos dedicarmos.

Eu fiz minha escolha. Tenha controle da sua vida e faça a sua.