Criando seu próprio RPG – Parte 1: Inspiração

Um tempo atrás, eu comecei a escrever uma série de artigos com base na excelente série “How to write a free RPG“, escrito por Rob Lang. Não demorou muito até que eu me aborrecesse em simplesmente escrever o artigo. Eu queria algo mais. Na época, Nereus estava já em um estágio avançado, então ele não mais serveria de exemplo. Acabou que eu desisti da série em seu segundo capítulo.

Mas, ultimamente, eu tenho vontade de trabalhar com algo mais específico que suplementos genéricos. Por isso, decidi criar um cenário “do zero” sobre algum tema específico. Então, arregacei as mangas e comecei a esboçar as coisas utilizando o artigo inicial do Rob.

Então eu pensei: por que não compartilhar essas coisas com o pessoal? E é exatamente isso que eu vou fazer. Cada passo descrito pela série original terá um equivalente aqui. Mas, ao invés de traduzir o texto, eu irei aplicá-lo. Um teste das minhas próprias habilidades como criador de jogos amador e também poderemos ver qual o resultado da coisa toda.

warrior-563172_960_720

Prontos? Então hoje se inicia o projeto Kollthar: O RPG de Fantasia & Metal Pesado (imagine um eco com a voz, quando ler os negritos).

A Ideia

Vamos começar pela ideia básica do jogo. O que será Kollthar? Vou descrevê-lo minimamente aqui. Quando digo minimamente é exatamente isso:

Kollthar, um RPG de Fantasia Futurista que se passa em um planeta fictício

A partir desta frase vou desenvolver quatro itens que irão descrever esta premissa um pouco melhor:

  1. Fantasia: existe a magia, existem deuses e existe o psiquismo.
  2. Futurista: existe a tecnologia futurista, ainda que sucateada. Naves e robôs, baby!
  3. Pós-apocalíptico: o mundo tenta se reerguer mas existe uma vastidão devastada para ser reconstruída.
  4. Oponentes cuzões: existem aqueles que querem que a vastidão continue e aqueles que são inimigos desde antes do fim do mundo.

Beleza. Então, minha ideia é criar um planeta que está se reerguendo. Existem refúgios e cidades esplendorosas que voltaram a dominar a tecnologia, mas a regra ainda é a vastidão.

Triagem

Vamos responder algumas perguntas básicas sobre o jogo, para refletir como ele será, quem irá atender e o que o torna diferente.

  1. O que os jogadores irão fazer? Sobreviver na vastidão é a maior recompensa. São exploradores que obtém recursos para si mesmos e para as comunidades. São os heróis que impedem gangues e milícias de tomarem o controle e são os que desvendam a corrupção e conspirações do “novo governo”.
  2. Por que é divertido? Porque mistura futuro pos-apocalíptico com fantasia. É onde Fallout encontra Skyrim. Possibilitará a criação de segredos tanto políticos quanto místicos.
  3. Por que eu estou fazendo isso? Porque é algo que eu quero jogar, simplesmente.
  4. Quem irá jogar? Qualquer pessoa interessada em algo um pouco diferente da fantasia tradicional. D&D com phasers!
  5. Campanhas ou one-shots? Campanhas!
  6. Qual a concorrência? Bem este é um RPG caseiro. Não acho que será assim um negócio tããããõ grandioso quanto Numenera, Titansgrave ou Star Wars, mas seriam esses os títulos mais parecidos.

Estilo de jogo

Vamos definir o estilo de jogo usando uma barra graduada e dois aspectos (opostos). Irei posicionar o meu jogo nesta barra para dizer qual aspecto é o mais apropriado para o meu jogo. Exemplo:

Estilo A |========0=|Estilo B

Sugere que o jogo está mais para o Estilo B do que o Estilo A. Vou fazer isso para alguns temas sugeridos pelo Rob:

           Cooperação |=0=========|Competição
    Regras detalhadas |==========0|Regras simples
                Letal |==0========| Duro de Matar
           Cooperação |=0=========|Competição
Objetivos individuais |=======0===| Objetivos coletivos
             Violento |===0=======| Satírico
             Realista |=====0=====| Heróico

Descrições rápidas

Vamos definir nosso RPG em alguns parágrafos rápidos. Imagine que eu tenho 30 segundos pra te explicar o jogo. Como eu o definiria?

  1. Descreva o seu jogo em cinco palavras: fantasia, pós-apocalipse, magia, tecnologia, sobrevivência
  2. Descreva seu jogo verbalmente em 12 segundos: Um RPG de fantasia futurista que se passa em um planeta devastado com magia, psiquismo e guerra pelo poder.
  3. Crie uma chamada de marketing do seu jogo (não menos que 12 palavras, e no máximo 30): Heróis em um planeta devastado. Um lugar onde a alta tecnologia encontra a magia. O metal encontra a carne. O desespero encontra a esperança.

Conceito

Com tudo isso, podemos detalhar o conceito do jogo, em um parágrafo de até 200 palavras:

Kollthar é um RPG de fantasia futurista em um planeta recém-recuperado de uma devastação. Os personagens são exploradores e sobreviventes que devem encontrar recursos para abastecer os focos de civilização que estão começando a surgir. Frente ao progresso existem os corruptos que preferem que o mundo continue como está – fraco, deficiente e precário. Mas são os Segredos Antigos que tiram o sono dos novos reis de Kollthar: que mistérios os antigos templos reservam para os habitantes de Kollthar? Seria o surgimento da magia uma benção ou uma maldição que irá desencadear um novo apocalipse?

Com isso, finalizo o esboço do jogo. Semana que vem, vamos entrar na fase de pesquisa e recolher a maior quantidade de fontes possíveis e digerir tudo isso para começar a escrever o jogo propriamente dito.

Até lá!