Como escrever seu RPG – Apresentação: o diário de um game designer amador

Se você acompanha meu blog, sabe que finalmente montei meu “hack” do Fate! Publiquei ele aqui mesmo e você pode conferir na página “Material de Jogo”. Ele representa a minha visão de como eu quero que o Fate funcione. Algumas coisas são provenientes do Fate Accelerated, outras do Fate Core e outras são apenas aplicações minhas sobre o que podemos fazer com os Aspectos.

Ele não é perfeito, mas ele tem tudo que eu preciso e quero para jogar. Estou muito satisfeito com ele e acho que ele atende tudo aquilo que espero de um RPG.

Certo, mas… e daí?

Bem, Nereus é um sistema genérico. Agora, preciso escrever um suplemento para o Livro de Regras. Agora que tenho uma “base” posso começar a criar um RPG de fato. Então resolvi escrever meu adorado cenário de campanha de fantasia medieval para Nereus.

Só tem um problema: essa não é a primeira vez que eu decido fazer isso. O pior: todas as outras vezes eu falhei miseravelmente.

Se você já tentou, sabe do que estamos falando aqui. No entanto, traduzir, criar e adaptar o Fate para meu gosto pessoal (que resultou no Nereus RPG) me ensinou muitas coisas. A importância de criar fases e metas. Que não existe texto sem revisão e, principalmente como se motivar no processo de criação.

Não me considero um game designer profissional. Sou apenas um amador, ou simplesmente um Mestre de RPG que coloca as coisas no papel. Então, não tenho qualquer pretensão aqui em “ditar regras” ou criar tutorial acadêmico. No entanto, pretendo relatar os passos que tomei para organizar a criação do meu próximo livro.

Estes passos podem servir de tutorial, e podem ser usadas por aqueles que também querem escrever seu próprio RPG. Esta é a justificativa para a audiência do blog para esta nova série de artigos. Pessoalmente, este tutorial será um diário para medir meu próprio progresso na publicação do meu cenário de campanha.

Então você quer escrever um RPG?

Nesta série de artigos, vamos aprender uma das maneiras de se escrever (e publicar) seu próprio RPG.Estes são as dicas que mais me ajudaram a concluir, o que fiz até agora.

Para criar o jogo, irei aplicar os mesmos passos e relatá-los aqui. Além dos passos que eu conheço irei incluir mais alguns. O motivo disso é que Nereus foi um livro de regras genérico, totalmente baseado em um material existente (sem reinventar a roda aqui). No entanto, agora estamos falando de uma criação totalmente nova, pois, vamos tomar alguns cuidados extras.

Falando em não reinventar a roda, esta série de posts é baseada em material já existente. Então, vamos dar crédito para quem merece: os passos seguidos estão largamente documentados na EXCELENTE série de artigos chamada “How to write a free RPG” escrito por Rob Lang.

Vou seguir os passos e ir adaptando ao meu modo de produzir material de jogo,  para contribuir com a ideia toda e trazer um conteúdo relevante para o blog. No entanto, se você quer ir mais a fundo (e domina o inglês), esta série de artigo é incrível.

Preparando o palco

Vamos começar com o que você precisa ao longo de todo o processo. Então vamos ao nosso palco de produções:

  • Tenha onde anotar suas ideias antes de transformá-las em texto propriamente dito. Um caderno ou um bloco de papel ainda funcionam. Boa parte da inspiração virá em horas estranhas e é importante você capturar a ideia e o clima que te inspirou sem grandes preocupações.
  • Tenha onde escrever o seu texto. Um processador de texto (Google Docs, Libre Office, MS Office) é tão importante quanto um espaço para escrever (escritório, quarto, escrivaninha, laptop). Uma nota importante aqui: você não precisa imediatamente se preocupar com a diagramação do texto, mas em um dado momento, você vai precisar estruturar o seu texto em capítulos, tópicos e sub-tópicos. Qualquer rascunho que você faça, tenha em mente algo minimamente parecido com isso.
  • Não desista. Em especial, se isso for importante para você. RPG, como todo hobby nas nossas vidas, ainda tem alguns reflexos dos nossos anseios, determinações e convicções. Cumprir metas fora de um ambito sério pode te motivar a resolver tretas “sérias” da vida 🙂
  • Feito é melhor que perfeito: essa foi a meta do Nereus RPG e sempre será. Nem tudo será redondo e isento de erros. Mesmo os profissionais cometem gafes. Não que o seu RPG deva ser um esculacho, mas não existe nada que a gente não possa arrumar, especialmente se o seu lançamento for feito em meio digital. Então vamos ser tolerantes a nós mesmos e criar algo de fato, para que você possa se divertir.

 Calatoria: o meu cenário de campanha para Nereus

Ao longo desta série de artigos, vou ilustrar os passos com o meu próprio RPG sendo produzido. Calatoria é um cenário de campanha de Fantasia Medieval e irá usar o Nereus RPG como base de regras. Vou detalhar melhor o cenário a medida que avançamos nos passos.

Os textos, quando referidos a este cenário estarão diferenciados do artigo em verde, como este parágrafo. A ideia é desenvolver o jogo a medida que os artigos são escritos, mas também ele servirá de ilustração do que foi discutido ao longo do tutorial.

Calatoria é baseada em, pelo menos, três campanhas de jogo que mestrei ao longo dos anos. Tenho algumas anotações e mapas prontos aqui, mas irei revê-los nos passos de concepção do RPG e você verá como é importante reaproveitar ideias que você tenha em experiências passadas. Nada será desperdiçado.

Conteúdo

O conteúdo do tutorial será baseado no The Free Blog RPG, com algumas alterações. A medida que os capítulos forem publicados, vou incluir os links para os capítulos aqui.

  1. Inspiração e Pesquisa
  2. Estilo e clima de jogo
  3. Sistema de Regras
  4. Organizando o conteúdo
  5. Escrevendo o seu primeiro rascunho
  6. Testes e revisão básica
  7. Rascunho-candidato e revisão “final”
  8. Diagramação e Edição
  9. Publicação e divulgação

Então, se você quer criar um RPG, a hora é agora! Não espere mais. Criar jogos pode ser tão divertido quanto jogá-los! Ao mesmo tempo, agora que publiquei isso, vou ter que colocar a mão na massa. Será um ótimo exercício.

Então, nos vemos no Capítulo 1!